Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Extermínio de Pensamentos

"Happiness only real when shared"-Christopher McCandless

Extermínio de Pensamentos

"Happiness only real when shared"-Christopher McCandless

29
Jan19

Carrego mil livros...

Terminatora

Neste Natal, havia pedido especificamente que não queria prendas. Não queria que me oferecessem nada, pois não queria acumular coisas, mas sim quero acumular mais memórias. Não quero encher um futuro espaço, que poderá ser chamado de lar de tralhas e objectos que eventualmente perderão a sua utilidade. Não que eu seja mal agradecida, mas a verdade é que fartamo-nos das coisas mais tarde ou mais cedo.  

 

No entanto não me canso de livros, mas não pedi a ninguém que me oferecesse algum.

 

E aconteceu que, o meu melhor amigo ofereceu-me algo que ganhou um valor inestimável. Um e-reader, mais propriamente da Amazon, Kindle. 

Nunca pensei agora dizer, que adoro este objecto. Eu adoro livros desde muito tenra idade. Meus pais sempre passaram dificuldades, e não me compravam muitos livros, mas eu trazia da biblioteca, ou emprestavam-me. Em adulta comecei a adquirir alguns, mas é verdade que alguns não são muito baratos. Por exemplo dei 30 euros por um livro de 900 páginas, e agora não sei como o vou carregar comigo para ler! Se tivesse esperado um pouco mais tinha-o agora no Kindle!  (provavelmente compro para lá também)

 

Já li três novos livros, ainda estou a experimentar os gratuitos da loja online. Por ser da Amazon tem imensos gratuitos, mas diga-se de passagem que não são lá de muito boa qualidade...! 

Comprei dois sobre a vida de Hellen Keller, foi-me recomendado por outro amigo e estou curiosa para mergulhar neles. Enfim, isto agora vai ser muito mais cómodo, e como é de esperar mais barato, acumular livros. Levo-o para todo o lado, é leve e de fácil utilização, nunca pensei ficar a gostar tanto disto. Eu que adoro o cheiro dos livros, o folhear, o admirar a capa e contracapa.. Enfim, vou fazer um pé de meia para depois adquirir as versões impressas! 

 

Não sei se é mais vantagoso ter um e-reader, se é menos prejudicial para o meio ambiente. Adoro árvores, mas também adoro livros. E usam-se árvores no seu fabrico.. sinto-me aí um bocado dividida. Se tem menos impacto ambiental ter um e-reader, pois então incentivo ao seu uso, mas não investiguei sobre o assunto e não quero fazer afirmações sem uma base de conhecimento. 

Sem dúvida que fiquei fã... E vou estimar para o resto da vida esta prenda maravilhosa, que me vai permitir ter mil e um livros sempre à mão. 

 

 

02
Jan19

E começa outro...

Terminatora

Será literalmente um recomeço de tudo. 

Não sei o que me espera este ano, não tenho ainda certeza para onde vou, mas sinto confiança neste meu vaguear de pensamentos e decisões. É estranho não ter nada decidido, mas ainda assim sentir que é o que está mais certo. Não vou mentir e negar que o futuro não me preocupa. Preocupa, mas já não me preocupa a ponto de me tirar o sono ou não me deixar fazer outras coisas.

 

Tive um mês de Dezembro espectacular e foi como um recarregar de baterias. Embora, deixar este "mês" para trás me tivesse custado mais que outras despedidas anteriores, foi um mês muito vivido, para recordar com muito carinho e servirá para me dar forças para o que se segue. 

Espero que todos os que leiam este texto, tenham disfrutado deste mês, desta época de troca de carinho e amor. Que possam prolongar estes sentimentos, esta troca, pelo resto do ano. 

 

Temos a tradição de ao bater da meia noite de 31 de Dezembro, comer 12 passas e por cada uma, pedir um desejo para o novo ano. Engraçado que me perguntaram se estava a pedir o Euromilhões e já ia eu nas últimas e em nenhuma pedia dinheiro ou riquezas. Pedia somente saúde, amor, felicidade e coisas do género... Para os meus. Peço sempre para os meus, porque se eles não estiverem bem, eu também não consigo estar bem. A minha felicidade e a minha riqueza, faz-se com os outros. Com os meus. É na partilha que sou feliz. E quero poder partilhar com eles tudo e quero que tenham tudo do melhor. E não será riqueza, pois riqueza de bens é coisa que nunca tivemos e não iremos ter, mas que tenhamos riqueza na Alma e no coração e que partilhemos isso de forma a aumentar e proporcionar a outros, esses bens preciosos. 

 

Que vocês também possam ser ricos em Amor, Saúde e Alegria. Que em vosso ano abunde somente o Positivo. Que seja a vossa base, na construção deste novo Ano. 

Felicidades para todos, muito amor e carinho, é o que desejo do fundo do coração.  

 

 

09
Nov18

A tree

Terminatora

b391b867253f8a6489edaaeaae56f1d8.jpg

 

Sempre me senti fascinada por árvores. Cresci rodeada delas, no seio delas e usufruindo de todo o carinho e abrigo que me proporcionavam. Depois que li "A fada Oriana" de Sophia de Mello Breyner, senti-me ainda mais fascinada com a natureza. Imaginava como seriam as casinhas dos seres que nelas poderiam habitar. Mesmo de meras formigas. Podia passar horas "perdida" no meio da floresta, não me sentia, noutro sítio, tão em casa como ali. Sentia que as árvores, eram a minha casa e a floresta a minha aldeia. 

À conta deste amor, desenhava imenso árvores... Não que seja grande ilustradora, mas eu tinha que colocar árvores sempre nos meus desenhos. Gostava de desenhar prados e árvores. Com um riacho e flores. Um pôr do sol. 

Adoro árvores. Carregam grandes fardos, mistérios e sabedoria. E não importa as adversidades por que passem em suas vidas, mantêm-se de pé. Firmes e prontas para a nova etapa. 

Gosto também da símbologia da árvore. Vida, Mãe, Conhecimento, Família, Segurança... 

Nessa altura não fazia ideia de todo o simbolismo de árvore, ou o que poderia representar para cada pessoa/nação. E mesmo assim, sentia uma certa conexão, um conforto indescritível de cada vez que me aproximava de uma árvore. Alegria, paz... Como podia a árvore estar sempre de pé, mesmo depois de uma tempestade? São fortes e batalhadoras... pensava eu. Fui crescendo e deixei de passear tanto entre as árvores. Mas nem assim, perdi a sensação que sentia ao me aproximar de uma árvore. Aquela excitação, aquela alegria, aquela ânsia de abraçá-la e apertá-la como que querendo protegê-la. Querer me deixar embalar por seus ramos e me aconchegar em suas raízes. Ficar ali e esquecer que existe o mundo.

 

Se me dissessem, que depois de morrer me poderia tornar no que quisesse... Eu escolheria ser árvore. Para poder proporcionar tudo o que já me proporcionaram. Para poder escutar as maravilhas da natureza, para poder dar e transformar. 

 

08
Out18

Do meu terraço vejo estrelas

Terminatora

Já é noite e posso passar à minha parte favorita do dia quando o céu está limpo. Deito-me no chão e deixo-me embalar pela imensidão que desce sobre mim. 

Meus olhos não conseguem alcançar o quanto gostaria, mas é tão intensa a sensação de mergulhar num mar de estrelas, que me parece que vejo mais e mais além. 

Sinto um enorme regozijo e deixo-me ficar assim, sem pensar. Apenas observo. Absorvo e deixo-me dominar pela calmaria da luz que vem de cima. Tento lhes tocar. Por momentos pareço conseguir agarrar um punhado delas, mas fogem-me antes que lhes possa sentir. 

Então fecho os olhos e aí posso tudo. Consigo sentir como irradiam uma luz calorosa à medida que flutuo entre elas, à medida que aproximo minha mão delas. Queria poder viver aqui. Queria poder ficar aqui para sempre e não voltar para baixo. 

Mas agora, queria só por um momento, voltar a esse terraço onde me deitei muitas noites, onde me sentei, onde chorei e cantei de alegria.. Onde só as estrelas me ouviram e abraçaram...

13
Ago18

Da minha janela

Terminatora

Não o conheço, mas gosto do vizinho que vejo da minha janela. A sua energia parece inesgotável. Logo de manhã cedo, começa a sua aventura e suas lutas com seus personagens. Sempre me questionei, como consegue o miúdo já estar de pé ás sete da manhã com tamanha energia. 

Vejo-o travar duras batalhas, decisões difíceis. Esquivar-se dos inimigos e preparar estratégias de contra-ataque. Consigo ver todo um mundo à parte e não me importo de, por alguns momentos, ficar a admirar o seu entusiamo e teatralidade à janela. Às vezes pergunto-me, porque está ele à janela? Será o palco predilecto para pôr em acção as suas histórias? Ou será que já me viu e sabe que de quando em vez o espio? Ainda assim, se for verdade, fico feliz porque não trocou de cenário para as suas fantasias e permite-me a mim deliciar-me nas melhores memórias da minha infância. 

Consigo imaginar perfeitamente o que poderá estar a acontecer do outro lado daquela janela e por vezes, sinto vontade de participar! 

E que saudades sinto, dos tempos que passava horas a fio imaginando todo um mundo diferente. Onde me sentia outra pessoa, onde encarnava os mais variados papéis e cenários. Onde eu fazia de raízes e troncos de árvore uma casa! Onde eu sentia que no seio da natureza era a minha casa. 

Apesar deste menino se limitar ao espaço que é o beiral da sua janela, não me espantaria se me dissesse que haviam ali montanhas, rios, cidades e aldeias, pessoas, muitas. Se pode de um espaço tão pequeno imaginar um mundo assim, que universo fantástico não faria ele brincando na rua? 

Curiosamente nunca o vi brincar na rua, como não o conheço não sei as razões. Não se vê muitas crianças brincar na rua. Os tempos estão tão diferentes e cada vez mais estamos escondidos dentro de quatro paredes. Mas nem isso limita a imaginação de quem é pequenino. E que felicidade enorme sinto quando vejo este menino. Apesar de somente a janela ser seu palco, a sua imaginação não tem limites. 

 

Luta corajosamente, não deixes os inimigos te apanhar. Usa a tua melhor arma, a imaginação e o mundo pode ser teu.

07
Jul18

Gostava de ter filhos?

Terminatora

Quando se é criança, o mundo não parece ser esmagador e destruidor de sonhos, como na verdade é. Achamos que com facilidade, se constrói uma vida e uma família feliz. Eu tenho uma família grande, logo meu desejo era também ter uma família. 

Que outros ensinamentos nos dá a família, que não seja trabalhar, casar e ter filhos? Construir um lar e viver em família. Este foi o conceito que me transmitiram durante anos. Meu objectivo de vida seria este. 

Durante algum tempo foi meu desejo encontrar o tal príncipe que me levaria ao altar. Passava horas vendo vestidos de noiva, ou mesmo até fazendo vestidos de noiva às bonecas... Véus. 

Mas cedo percebi que eu não entendia nada de como encontrar o príncipe ou sequer fazer com que alguém gostasse o suficiente de mim para ficar o tempo necessário para dar continuidade a uma família. Afinal, não era assim tão fácil. 

Nem foi mais fácil arranjar um lar sozinha, logo fiquei muito mais tempo em casa dos pais. Muitas vezes fui "praguejada" para sair de casa e casar. Pois... outros tempos, outros tempos. Tempos em que casavam com o primeiro namorado, e nem precisavam namorar 10 anos para perceberem que queriam ficar juntos toda a vida (ou não..). Aliás, namorar mais que 2 anos sem casar já deveria ser considerado uma vergonha. 

Fico feliz por os tempos terem mudado. Mas mais feliz fico por perceber que eu também mudei drasticamente ao longo da vida. Após relações falhadas o meu desejo em querer criar uma família diminuíu em consequência disso. E já não fico stressada por me ver a envelhecer e ainda não ter filhos, como quando vejo tantas amigas e agora a irmã mais nova, a construirem suas vidas em redor de um lar. 

Além de não ter a certeza se um dia encontrarei o par ideal para isso, também o meu físico não se encontra no melhor. E eu dou por mim a pensar, como vou eu ter condições emocionais e físicas (além de tempo) para me dedicar a outro ser. Conseguirei perder horas de sono, acarretar mais dores físicas em prol de cumprir o meu propósito neste mundo? 

Serei uma desilusão para as mulheres, porque afinal concluí, que se calhar já não quero assim tanto filhos? Quanto muito adoptaria uma criança precisando de amor e protecção.  

 

Estou em constantes mudanças, aquilo que sou hoje; aquilo que penso hoje pode já não ser o mesmo amanhã. Mas dou por mim muitas vezes a reflectir... eu não terei energia para cuidar de uma criança. E não sei se voltarei a ter. A minha vida é uma névoa neste momento, mas talvez essa névoa se dissipe no futuro.. 

Talvez volte a ter a vontade tremenda de ter filhos que outrora tive... ou talvez não. 

05
Jun18

A tomada de consciência

Terminatora

Apesar de estar ausente aqui, eu estou sempre atenta. Atento sempre ao que se está passar ao meu redor. Presto atenção ao que vai passando para o mundo, noticías e não-notícias. Acontecimentos e desastres. Estou bem atenta e vejo, mesmo quando para meu bem, eu finjo não ver. 

Eu preocupo-me. Preocupo-me demasiado até, com assuntos que não me afectam directamente, afligo-me por ver o outro em apuros. Aflijo-me bem mais do que na verdade gostaria e revolto-me bem mais do que devia. 

Eu já devia saber que mais de 95% das pessoas só pensa no seu umbigo, são marionetas das instituições e do sistema. São essas que influenciam outras e outras e outras... Formando assim um ciclo vicioso de violência psicológica que nunca mais terá fim. 

Eu sonhei, sonhei que continuaria a defender essas pessoas violentadas e que só haveria amor para dar. Sonhei que as pessoas não seriam mais manipuladas e elas andariam de braços dados com seus outrora concorrentes. Sonhei que todos estavam felizes, simplesmente a trocar sorrisos e risos, e estórias e beijos. Não seria preciso mais nada para que pudesse haver plena felicidade, além do amor. 

 

O amor seria a resposta que todos procuram. O amor seria aquilo que eles queriam. Mais que uma carreira bem sucedida, mais que um carro ou vestidos de 500 euros. Mais que bens materiais... O amor seria o único objectivo a alcançar. 

O amor seria a resposta de todas as questões que nos consomem e não sabemos responder. 

O amor é a resposta a todas as questões.

 

 

29
Dez17

E para o ano...

Terminatora

Vamos melhorar o que não conseguimos este ano.

Vamos continuar a querer fazer mais e melhor.

Vamos aprender, viver e trabalhar.

Vamos nos manter positivos, nada dura para sempre seja mau ou bom, por isso stressar menos com o que nos parece inalcansável. Vamos tomar rédeas e conquistar desejos.

Vamos ser nós próprios numa versão melhor, porque não é 2018 que tem que ser melhor, nós temos que ser melhores, quanto mais não seja para connosco.

 

Aproveitem, divirtam-se. Este já lá foi, venha mais um que estou pronta para ele!

Mais sobre mim

foto do autor

Extermínios antigos

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Mensagens

Calendário

Agosto 2019

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.