Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Extermínio de Pensamentos

"Happiness only real when shared"-Christopher McCandless

Extermínio de Pensamentos

"Happiness only real when shared"-Christopher McCandless

07
Jul18

Gostava de ter filhos?

Terminatora

Quando se é criança, o mundo não parece ser esmagador e destruidor de sonhos, como na verdade é. Achamos que com facilidade, se constrói uma vida e uma família feliz. Eu tenho uma família grande, logo meu desejo era também ter uma família. 

Que outros ensinamentos nos dá a família, que não seja trabalhar, casar e ter filhos? Construir um lar e viver em família. Este foi o conceito que me transmitiram durante anos. Meu objectivo de vida seria este. 

Durante algum tempo foi meu desejo encontrar o tal príncipe que me levaria ao altar. Passava horas vendo vestidos de noiva, ou mesmo até fazendo vestidos de noiva às bonecas... Véus. 

Mas cedo percebi que eu não entendia nada de como encontrar o príncipe ou sequer fazer com que alguém gostasse o suficiente de mim para ficar o tempo necessário para dar continuidade a uma família. Afinal, não era assim tão fácil. 

Nem foi mais fácil arranjar um lar sozinha, logo fiquei muito mais tempo em casa dos pais. Muitas vezes fui "praguejada" para sair de casa e casar. Pois... outros tempos, outros tempos. Tempos em que casavam com o primeiro namorado, e nem precisavam namorar 10 anos para perceberem que queriam ficar juntos toda a vida (ou não..). Aliás, namorar mais que 2 anos sem casar já deveria ser considerado uma vergonha. 

Fico feliz por os tempos terem mudado. Mas mais feliz fico por perceber que eu também mudei drasticamente ao longo da vida. Após relações falhadas o meu desejo em querer criar uma família diminuíu em consequência disso. E já não fico stressada por me ver a envelhecer e ainda não ter filhos, como quando vejo tantas amigas e agora a irmã mais nova, a construirem suas vidas em redor de um lar. 

Além de não ter a certeza se um dia encontrarei o par ideal para isso, também o meu físico não se encontra no melhor. E eu dou por mim a pensar, como vou eu ter condições emocionais e físicas (além de tempo) para me dedicar a outro ser. Conseguirei perder horas de sono, acarretar mais dores físicas em prol de cumprir o meu propósito neste mundo? 

Serei uma desilusão para as mulheres, porque afinal concluí, que se calhar já não quero assim tanto filhos? Quanto muito adoptaria uma criança precisando de amor e protecção.  

 

Estou em constantes mudanças, aquilo que sou hoje; aquilo que penso hoje pode já não ser o mesmo amanhã. Mas dou por mim muitas vezes a reflectir... eu não terei energia para cuidar de uma criança. E não sei se voltarei a ter. A minha vida é uma névoa neste momento, mas talvez essa névoa se dissipe no futuro.. 

Talvez volte a ter a vontade tremenda de ter filhos que outrora tive... ou talvez não. 

5 comentários

  • Imagem de perfil

    Terminatora 12.07.2018

    Pois, relógio biológico como quem diz, depois dos 32 ou 35 (já nem sei), é preciso ter cuidados redobrados. Mas depois vemos mulheres com 60 e poucos anos a dar à luz. :)
    Conceitos criados na sociedade para controlar. Este é realmente um assunto que dá pano para mangas. Gostei de teres trazido esse lado real para o tópico. Eu também tenho a mesma opinião quando vejo casamentos repentinos. Conheço também casos, de "ajuntamento de trapos" por interesse. Como se isso os fosse tornar ricos ou melhores aos olhos da sociedade. Pobres das crianças que ficam prisioneiras destas famílias vazias, crescem mimadas, sem carácter e dependentes.

    Obrigada por teres passado neste canto ;)
  • Sem imagem de perfil

    Robinson Kanes 14.07.2018

    Já lhe ouvi, a propósito do teu segundo parágrafo no comentário, chamar "patamares", como se a vida, pelo menos neste campo tenha necessidade de ser regida por patamares.

    Obrigado eu, é sempre um gosto passar por aqui.

    Está aqui um óptimo artigo para destaque!
  • Imagem de perfil

    Terminatora 18.07.2018

    É impressionante o quanto a sociedade nos molda. O quanto nos manipula e controla. Fazer o que todos fazem, porque como todos fazem, é "por lei" aquilo que tem que ser feito.
    Se todos questionassem, como nós, a origem de certas crenças, certas tradições; do porquê a sociedade estar moldada desta forma. O porquê da religião ter tanto impacto na vida, porque é que existe sequer a religião, haveria muito mais felicidade, paz, amor e tolerância. Porque a ver bem, a religião influencia tudo ou quase tudo. E eu acredito que o casamento, por exemplo, foi inventado só para poder manipular e controlar as pessoas. Nalguma altura a natalidade estaria baixa, então criaram benefícios para quem se casa e tem filhos... E não só! Pfff... que lista enorme eu escreveria, sobre o que a religião inventou aliada à política para poder controlar as pessoas.
    Depois passam de geração em geração, que os antepassados também o fizeram e por isso teu dever é fazer o mesmo.

    Não escrevo assim tão bem para ter um artigo em destaque :) Mas obrigada pelo carinho.
    Escrevo... porque me apetece, me faz bem e sem segundas intenções :)

    És bem vindo sempre, obrigada!
  • Sem imagem de perfil

    Robinson Kanes 02.08.2018

    A religião, essa(s) grande(s) obra(s) que tanto mal causaram e vão causando...

    O casamento, sobretudo num país como o nosso, quer queiramos quer não, é um mero contrato do ponto de vista legal. Depois, na questão religiosa, cada um entende como quer, mas as consequências do mesmo, estão bem consagradas no papel e isso não tem "romance" nenhum :-)
    Honestamente é assim que vejo o casamento como "ritual". A casar-me seria sempre como forma de acautelar o bem-estar e a protecção daquela com quem o faria e vice-versa.

    O verdadeiro "casamento" está na nossa cabeça :-)
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Extermínios antigos

      1. 2019
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2018
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2017
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2016
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2015
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D

    Mensagens

    Calendário

    Julho 2018

    D S T Q Q S S
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031

    Pesquisar

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Em destaque no SAPO Blogs
    pub