Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Extermínio de Pensamentos

"Happiness only real when shared"-Christopher McCandless

Extermínio de Pensamentos

"Happiness only real when shared"-Christopher McCandless

12
Ago15

A todo o vapor

Terminatora

Julgo que não sou desta família. Devo ter sido trocada no berçário. Será que é bom, ignorar o desabamento de uma vida inteira? Será que ter a cabeça vazia de pensamentos e reflexões é bom? Será que não reflectir nas nossas atitudes diárias, é bom? Será que a mente estará mais leve? Haverá espaço na mente para outras coisas?

Como será ter uma mente repleta de ignorância? Gostava de saber..se bem que me considero ignorante, só que tenho os pensamentos sempre a milhas...a trabalhar a todo o vapor! Não me dá descanso esta cabeça...

Por vezes trabalham tanto, que balbucio parvoeiras sem me aperceber. Que nervos...

10
Ago15

Eeerrr.... é isso!

Terminatora

Já vai algum tempo, desde a última vez que cá estive. As 24 horas do dia, não chegam a ser suficientes para tudo o que quero fazer. Parece que os dias têm passado e eu parei no tempo. Já nem tenho noção em que altura do ano estamos! É o que dá... trabalhar mais de metade do dia, dormir sete horas e ter somente umas cinco horas (por vezes bem menos!!!), para poder fazer tudo o que gostaria. Pois bem, gostaria... Não que tenha vindo a fazer.  

Tenho tido uma vontade enorme, de descarregar os tormentos pelos quais tenho passado. Vontade de gritar e seguir sozinha, sem rumo para um lugar qualquer desde que fosse, para longe da balbúrdia.

Preciso de voltar aos tempos em que tinha tempo de transbordar para o exterior, tudo aquilo que me passava no pensamento. Já não tenho é 16 anos. Não tenho diários. Não tenho tempo e não confio nas pessoas. E as poucas que confio, também são muito ocupadas... quanto mais velhos, menos tempo, hein?

Estou a ver que vou terminar, tal e qual a minha colega de trabalho mais velha! Uma distraída de primeira, uma expert no esquecimento, lenta como tudo, por causa das dores reumáticas, articulares e osteoporose, que já vem dando sinais. Uma pessoa dá em doida com tanto stress, se não deita fora aquilo que lhe atormenta o pensamento!!  

Preciso sobretudo de um diário (seria possivelmente este blog, mas está difícil), e exercício físico...

26
Mai15

Planos

Terminatora

Durante uma boa parte da vida, perdemo-nos em sonhos e planos para nós. Para os outros. Para o Mundo.

Perdemo-nos de tal forma, que à medida que vamos vivendo, acordamos para a realidade. Os planos nem sempre correm como foram traçados inicialmente. Os sonhos...permanecem sonhos. Mas ainda assim, o sonhar, o planear, continua lá. Insistentemente, continuamos a sonhar, a planear. Vivendo como se tudo fosse um dia acabar da forma que desejamos.

O ser humano consegue ser tão idiota. Consegue acreditar em coisas que transcendem qualquer realidade.

Vivo pensando, para que serviu tanto plano? Para que foram todos aqueles sonhos? Porquê perder tempo com planos?

Porra tens quase 30 anos.... chega de planear!! Chega de esperar por realizações que não acontecem! Os outros não se importam com os teus sonhos, ou com os teus desejos! Aquilo que planeias, ou será para ti; ou não será!

É por isso que não acredito mais em sonhos. Não acredito mais em planos. A vida não é como se vê. Aquilo que vemos, é o que queremos crer. Aquilo em que eu cri, não mais é a realidade. Só quero crer no presente. Na verdade, sem máscaras, sem filmes, sem mentiras. Porque o presente é o único que nos dá uma certeza. É o único plano que temos. É nele que devemos concentrar nossas energias e nossos pensamentos.

Jogo fora tudo aquilo em que eu cri até ao momento. Apenas creio no agora, e é no agora que vou viver.  

06
Mai15

Vazio

Terminatora

Não sei ao certo, há quanto tempo começou. Estou apática. Inconsciente. Morta. 

Gosto de estar neste vazio, onde não sinto nada. E esse nada me preenche com uma sensação de liberdade. 

 

É estranho. É-me indiferente. Tudo. Gosto de estar no meu vazio. É aí que me encontro. É aí que vejo, é aí que sinto. Não sinto nada e aquilo que sinto, é sempre tão fugaz.

Como pode isto ser possível? Como pode isto de não sentir nada, ser tão bom? Este desapego, reconfortante. No entanto, estranho. 

Não sinto nada e isso deixa-me feliz. 

Não tenho vontade de amar outro ser, me dedicar a outro ser, se este vazio me preenche melhor que qualquer amor que já tenha vivido. Além disso, nenhum amor nos deixa verdadeiramente livres. E para que quero eu amor, se sou feliz e livre assim? 

O amor pede compromissos. Pede dedicação. Pede sacrifícios. 

E não, eu não me quero sacrificar, nem dedicar, muito menos me comprometer com alguém. Prefiro o meu vazio. Não me pede satisfações. Não me pede explicações. Não me pede horas marcadas e minutos contados. 

Amo o meu vazio. 

 

06
Mai15

Explosão

Terminatora

Ultimamente, não se pode esperar muito de mim. 

Ora bem, ora assim assim. Ora rio, ora explodo. 

 

E só uma pessoa entende aquilo que passo... o resto exige-me trabalho. Exige-me rapidez. Exige-me rendimento. Exige atenção. Exige carinho. Exige amor. 

Não tenho nada para dar. Nada.

 

Não me peçam nada que nada tenho para dar! Dêem espaço porra! Calem-se de uma vez! 

 

23
Abr15

Quem mais chora, mais mama!

Terminatora

Quem mais chora mais mama! Já toda a população continental, intercontinental e talvez Mundial o diz! De outras formas, concerteza. À maneira deles.

Gosto de ver pessoas lamuriarem-se das suas vidas insignificantes e pequeninas, como se fossem Torres Eiffeis de problemas. Gosto de apreciar o quão bestas conseguem ser. lá conseguem elas enganar uma dúzia ou talvez mais de pessoas à sua volta. Oh coitadinha! (dizem os outros) Calma que isso há-de melhorar! Isto é assim a vida!! O que é que se vai fazer?! É só problemas só problemas… ai a minha vida, já não sei o que faça!!  

No entanto, suas bestas! Passam a vida a maltratar os colegas, as outras pessoas, a mentir, até à própria família! E querem ter uma vida sem problemas?!»?!?!?!?!??!??!?! oh minhas grandes bestas! Problemas têm as pessoas que sempre foram correctas, honestas, simpáticas e humildes. E às quais a vida nem sempre sorri e no entanto conseguem levar o dia a dia com uma certa alegria, até contagiante. E damos por nós a pensar, como será que consegue?

Conheço casos assim. Pessoas a quem nunca devia de acontecer nada de mal. Que não mereciam que lhes acontecesse nada de mal na vida. Mas que infeliz(ou feliz)mente têm uma carga de trabalhos todos os dias. E todos os dias suas vidas passa a correr por si e mal têm tempo de desfrutar um belo pôr do sol, ou até mesmo o sol em si. Seus filhos…sua casa…sua mulher/marido. Dizem que Deus dá, as batalhas mais difíceis aos seus melhores guerreiros. Enfim. Mas no entanto estes pelindras de merdinha, vêm com suas lamúrias…que as consultas médicas são um absurdo! A medicação é um absurdo! Oh, mas comprei um telemóvel de 225€! (Ahahahahahahhah!! Tás a gozar comigo certo?!)

Então não tas cheio de problemas? A tua vida não é uma merda? Cheia de preocupações? Com contas atrás de contas pa pagar? Despesas e mais despesas? E que não consegues chegar com um tostão ao fim do mês na conta? Eh pá… rebobina lá isso outra vez!

Adorooooo ouvi-los a chorar! Adoroooo e depois saem-se com estas! Ahahahaha é melhor que uma comédia!

Oh pá! São os maiores a sério! E fico eu a pensar.. como conseguem eles, serem tão frios e indiferentes aos outros. Serem tão manipuladores e mentirosos. Como conseguem dormir? Fico revoltada por ter que haver pessoas assim! Fico fula porque a economia está na merda que está. O país está na merda que está. A sociedade está na merda que está, à conta de pessoas assim! Sem escrúpulos, manipuladores e mentirosas!!!

Mas porque raios temos que aturar pessoas ASSIM? Trabalhar com pessoas assim? Conviver com pessoas assim?! Eliminem-nos a todos! São parasitas, pragas !!

Esses é que deviam ser extintos de uma vez por todas!!! Deixem os animaizinhos em paz e dêem-me cabo dos verdadeiros Animais!   Porra…. Acordem!

23
Abr15

Escrever

Terminatora

Em tempos, gostava muito de escrever. Conseguia construir textos, prosas com príncipio, meio e fim. Hoje, já não sei o que significa um parágrafo. O que é uma pausa ou uma vírgula. As letras deixaram de construir textos bonitos, frases sinfónicas para serem lamúrios e choros isolados, deixados no esquecimento.

Peguei neste computador velho, para tentar entornar alguma coisa de útil para cima das teclas. No entanto, fico mais tempo olhando para o ecrã, vagueando em estapafúrdias memórias dancarinas. Ocasionalmente sai-me algo racional, com sentido e coração. Ocasionalmente… o que não quer dizer que aconteça agora.

O que estou aqui a tentar fazer? (Pergunto-me eu) Uma vez fui procurar uma psicóloga. Quando estava na Universidade. Deixara a escola para depois, para tentar trabalhar e ajudar em casa. Anos depois queria voltar a estudar, queria pegar nos livros, queria aprender, queria conhecer mais, saber mais, ouvir mais, ler mais. Queria….pois queria. Agora não sei o que quero. Bom, na altura estava numa situação um bocado deprimente, como tem sido estes últimos anos. Era só mais uma fase… Mas! Já que havia psicólogos a baixo custo para os estudantes, lá fui eu… Sim, pedi a demissão no trabalho, estou farta de aturar pessoas que não valorizam o trabalho que faço. Sim, estou farta de me sacrificar e vê-los a rirem-se de mim. Estou farta daquilo (dizia eu). Ah sim, gosto das aulas. Sim consigo estudar, se cheguei cá foi porque estudei! (daaa) Dias depois, parecia uma Maria chorona. Por fim, falei do que mais me havia angústiado tantos anos. E agora? Ah sim? Não preciso de mais ajuda? Não preciso de voltar mais? Que nervos… andei eu a derramar lágrimas, porque não queria ter de contar o que de tão íntimo me ía na alma... Psicólogos? Raios me parta. Nunca mais na vida!

Recolheram mais um testemunho, para daqui a uns anos, fazerem um livro à custa de quem está desesperado. E lá ganham eles milhares de euros, porque nós somos uns pintos chorões, não sabemos muitas vezes com quem desabafar e pensando que um profissional nos vai ajudar….treta!

Aiiiii a minha vida. Lá estou eu a divagar novamente. Pensando bem, os psicólogos também devem passar maus bocados. Eles têm que ouvir todas as nossas lamúrias, procurar ouvir sem julgar. Fazer as críticas de forma súbtil, por forma a nos fazer ver que no fundo tudo tem um lado positivo. E lá têm eles que ir para as suas casas, sem muitas vezes terem quem os ouça.

Até que gosto da profissão deles. Mas não sei se teria a capacidade para me sentar no lugar deles. Se bem que em tempos, já fui uma grande ouvinte. Acho que a idade faz-nos mais irritadiços e impacientes. Já não tenho muita paciência para ouvir adultos a queixarem-se. Não estão satisfeitos?! Mudem de vida! Mudem alguma coisa! Façam por melhorar o que está mal! Um barco sem remos, velas ou motor, não vai a lado nenhum! Ora bolas!

De que estava mesmo eu a falar? Ah sim. Gosto de escrever. Gosto de nadar nos meus pensamentos. Se bem que nadar é um termo muito suave! Dado que normalmente, isto está numa tempestade pior que o Katrina!!!

Julgo que por hoje está concluído… vai aqui uma mistura de frases que sentido não fazem, quanto mais lógica!

Mais sobre mim

foto do autor

Mais exterminados

Extermínios antigos

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Mensagens

Calendário

Agosto 2019

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub