Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Extermínio de Pensamentos

"Happiness only real when shared"-Christopher McCandless

Extermínio de Pensamentos

"Happiness only real when shared"-Christopher McCandless

17
Dez17

Reflexão

Terminatora

Lembro-me quando iniciei o blogue. Foi numa altura que precisava urgentemente de um sítio onde descarregar tanta frustração, resignação e pressão que sentia no dia-a-dia. Costumo reler o passado, e termino sempre a rir das coisas que tão desenfreadamente escrevi na altura, a maioria sem pensar duas vezes, baseada somente nalguma experiência recente. Nunca foi minha intenção ter textos escritos diariamente, até porque com o trabalho que tenho é impossível, aliás não impossível, mas seria mais desgastante para mim, se bem que adoraria muitas vezes ter um papel à mão para entornar o que me dói na alma ou o que me alegra. E não é minha intenção falar de assuntos que todos falam, a não ser que me apeteça dar alguma opinião, afinal fiz este blogue para mim, como uma espécie de terapia. Até recentemente só quem vinha ler sabia da existência dele. Nunca partilhara antes com alguém que eu tenho um blogue. Sim apetece-me partilhar pensamentos, ideias, desabafos, mas não queria ser "visível". A invisibilidade que a internet por vezes proporciona, é confortável. Posso expôr o que realmente penso, a pessoa que realmente sou e não tenho que ter receio que me vão apontar o dedo para fazer troça. Mesmo que o façam agora, não tem qualquer importância, mas já me importei demasiado no passado. E há traumas que nunca se consegue ultrapassar. Consegue-se dissimulá-los, esquecer por momentos que existem, mas voltam sempre para nos atormentar. E de que vale nos queixarmos deles? Quem entenderia? Apenas cada um sabe a forma como esses traumas afectaram a si. 

 

E quando escrevo textos, não penso muito neles. Fluem com o que penso no momento, não perco horas a tentar construir algo de coerente. Sairá coerente se tiver que ser. E hoje escrevo com mais calma, mais sabiamente que há dois anos atrás. O caminho que percorri até aqui foi bem tumultuoso, foi de profunda aprendizagem. De mim, dos outros, das minhas escolhas. Só fico triste por ter consumindo tanto tempo pelo caminho mais demorado e sofrido. Por não ter acreditado nas capacidades que sei que tenho, por ter deixado que acasos da vida tomassem as rédeas da minha, por não ter confiado nos meus instintos. Por não me ter amado. 

É sempre do sofrimento que surgem as maiores aprendizagens, é deles que renascemos outras pessoas. É por causa deles que grandes mudanças acontecem. E ainda bem! Como aprenderíamos nós? Como saberíamos nós, os prós e contras das decisões, mesmo antes delas acontecerem? 

 

Olhando para trás, estou feliz das decisões que tomei. Feliz pelas pessoas que conheci, feliz por ter deixado outras para trás. O comboio segue seu rumo, nas paragens que faço há sempre gente que entra e sai. Lições novas para aprender. No horizonte, está um mundo de possibilidades para descobrir. E logo eu... que não gosto nada nada de aprender e descobrir! 

19
Nov17

Adopções e abandonos

Terminatora

Dei por mim a pensar há uns dias, no crescente apelo (pelas redes sociais) da adopção de animais. De mãos dadas cresce também o apelo para não abandonar aqueles que já temos em casa. Que adoptemos aqueles que andam perdidos, concordo. Discordo completamente de quem faz negócio com a procriação de raças e estabeleça um preço pelos mesmos! Se é certo que há bastantes animais abandonados, não vamos estar a vender, quando se pode tirar um da rua gratuitamente! Abomino completamente a venda/compra. Se a fiscalização fosse maior, penso que muitas pessoas se dariam mal com este "negócio". Como amantes dos animais, estas pessoas deviam ter vergonha por participar em tal mercado cinzento. Porquê cinzento? Porque é ilegal, mas passa-se à frente de toda a gente, a bem dizer, à luz do dia! 

 

Mas a hipocrisia maior, será ver publicações que pessoas, que compram/vendem animais, partilham a favor de ajudar os animais, adoptar animais, contribuir para abrigos...etc! Não sei se essa será a maior hipocrisia. Vejo todos os dias, mas todos os dias mesmo (!) alguma coisa sobre os bichinhos. E apelamos à sua adopção, ao seu tratamento digno, ao castigo que se deve dar quando se maltrata um animal (concordo), às boas condições de vida que se lhe deve dar... E adoptar uma criança? Onde estão as campanhas, apelos, publicidade, partilhas para adoptar crianças? 

 

Se temos assim tanto amor para dar, porque não nos candidatamos à lista de adopção de crianças? Se conseguem dar 800 euros por um cão, pagar depois seu veterinário, comprar tudo o que ele precisa para casa, seus briquendos, sua comida e por aí adiante, porque não fazer um esforço maior e adoptar uma criança? Uma criança não é um animal, virão alguns dizer. Uma criança requer uma dedicação maior, uma despesa maior, um sacrifício maior, é tudo maior!  Não... é um desafio, que muitos cobardemente não têm capacidade de enfrentar, por isso as abandonam. E nós só nos lembramos delas quando chega o Natal. Ficamos com o coração apertado pelas campanhas publicitárias para angariar fundos para "instituições" e aí dizemos :"pobrezinhas, vamos lá dar uns troquinhos para lhes comprar uma prenda de Natal." Por 31 dias lembramo-nos que existem crianças abandonadas, que gostariam de ter um lar, uma família, um colo reconfortante, um abraço e um beijo antes de dormirem, uma figura que as proteja e guie, um amor incondicional. 

Por 31 dias aqueles que passam o ano a partilhar animaizinhos, lembram-se ah! Afinal existem crianças abandonadas...Oooh! Coitadinhas, tenho tanta pena, vou partilhar isto, para apaziguar o que sinto cá dentro. Dever cumprido! Que sensação!!!! 

 

Queremos o casamento gay, queremos punir os que maltratam animais, queremos legislação dura para quem não tem condições em casa de ter animais, queremos obrigatoriedade no tratamento digno dos animais! Tudo pelos animais!   Depois o processo de adopção de crianças é uma burocracia dolorosa e penosa. Queremos evoluir em termos de tecnologia, informação e modernices... Mas para se inscrever (!!) no processo de adopção de uma criança, é um percurso maior que ir daqui à Conchichina. O que posso concluir disto? A meu ver, não temos paciência para nos dedicarmos a outros. Se por um lado há aqueles que realmente não têm possibilidades económicas para cuidar de uma criança, por outro temos egocêntricos que nem fazem o esforço para dar um pouco de si aos outros. O meio termo está ocupado a negociar, se por o cão ter uma mancha no olho e fazê-lo ter um ar mais engraçado, há de cobrar mais por isso ou não. 

 

E é pela falta de interesse, empenho, luta pela parte da população, que os que governam não alteram o processo de adopção de crianças. Porque estamos mais preocupados com os animais, do que propriamente dar uma vida às crianças que não a têm. As prioridades deste país estão numa desorganização tremenda. E quem fala de Portugal, fala do resto do mundo. Não conseguimos mudar o mundo, mas podemos fazer alguma diferença na sociedade em que vivemos...se assim quisermos.

 

14
Nov17

O que significa ser humano?

Terminatora

Para mim ser humano é amar. É sentir, é dar, é receber, é ensinar, é aprender, é falar, é escutar, é abraçar, é rir, é cantar, é ler, é escrever..

 

É cair, é levantar, é sucesso, é fracassar, é luta, é sonho, é desejo, é paixão, é chorar, é sentir-se só. É ter tudo e não querer nada. É ser quem eu quero, é escolher para onde vou. É respirar a brisa à beira mar, é correr montanha, é escorregar na lama.

É tudo e nada. 

 

 

Oh Wonder... Uma dupla maravilhosa, um vídeo a não perder! 

 

O que significa ser humano?

 

03
Nov17

Complicadas

Terminatora

Dizer que as mulheres são complicadas, é o mesmo que dizer que os homens são todos iguais. Qual o homem que gosta de ouvir isto? Pela minha experiência, nenhum. Eu mesma já disse essa frase muitas outras vezes. Em contextos e situações específicas e sempre resultando de algum degosto ou desilusão. Claro que quem afirma que as mulheres são muito complicadas já passou por situações em que teve dificuldade em lidar com alguma(s) mulher(es). 

 

Eu compreendo meus caros! Compreendo... Vocês dizem que as mulheres são complicadas, mas porquê? (Perguntei eu aos meus colegas de trabalho) Respondem porque sim, porque querem ter sempre razão, porque têm mau feitio, porque só discutem.... por aí fora.

 

Quando se está a aprender uma nova tarefa, ou mesmo que já saibam desempenhar essa tarefa, mas de lugar para lugar por vezes a organização do material, o tempo (devido à disposição do local, etc) que leva a concluir essa tarefa vai variar concerteza! Qual a estratégia que se deve aplicar? Experimentar várias técnincas ou modos de fazer até encontrar a solução mais rápida e eficaz de concluir essa tarefa. Isto serve para qualquer situação diária. 

Baseado nisto, respondi, alguma coisa vocês estão a fazer mal. Se já tiveram algumas namoradas e a coisa é sempre complicada, mudem de estratégia, experimentem novas técnicas. Mudem vocês alguma coisa! Provavelmente o problema está em vocês e não na mulher. Encontrem a solução mais rápida e eficaz para lidar com problemas e discussões que possam advir de um relacionamento. Não podem esperar que as mulheres deixem de ser complicadas por magia, porque não funciona assim. Há que se adaptar às mudanças. E ninguém é igual a ninguém. Por isso é um desafio esta coisa de se relacionar, estamos sempre a aprender mutuamente. Teremos de ter a mente aberta para aprender e aceitar o outro tal como é, se não gostam de desafios, mais vale ficarem solteiros! Quando realmente se gosta, encontramos formas de lidar com seus defeitos e feitios, por mais complicado que seja. A boa comunicação é a base de tudo. Um relacionamento é um trabalho em equipa constante, e eu até em trabalho consigo dizer se X ou Y trabalha em equipa com a mulher/namorada/marido/namorado. E aposto que não devo falhar. De braços cruzados não se obtém resultados. 

 

Queremos mudanças, algo diferente, que não seja "igual" ao que já estamos habituados e fartos de lidar, mas não se pode esperar que, continuando com as mesmas atitudes, o mesmo processo ao desempenhar a tarefa, e o resultado ser sempre desastroso que alguma coisa vá mudar! 

Vaiam por mim, ainda ando a experimentar qual a melhor técnica, mas sei que ao menos estou a fazer algo diferente ou a tentar mudar algo no modo de execução...Algum dia terei os frutos que tanto desejo. 

 

E não...não somos todas complicadas.

 

 

01
Out17

Cegueira

Terminatora

É impressionante. 

Fico cada vez mais pasma com a cegueira de alma das pessoas. É uma cegueira pior que aquele que não consegue ver o mundo à sua volta. Porque ter habilidade de ver, apreciar e viver tudo aquilo que se passa à sua volta e simplesmente ser um egoísta, é tão, sei lá... Triste. Digo egoísta porque vive para si. Só pensa em si, no seu bem estar. Está uma pessoa a cair? Bah.. eu estou bem, que estou firme. Está alguém a precisar que estendam a mão? Bah... quero lá saber, estender a minha mão de volta exige muito esforço deste meu corpo trôpego! 

Enquanto uns se importam de menos, outros se importam de mais. Enquanto uns enxergam, outros são completamente cegos! A maior desilusão de todas, é que este mundo está infestado de gente cega! 

 

23
Jul17

Leave out all the rest Chester...

Terminatora

E mais um cantor se foi. Também a cantora francesa Barbara Weldens, que nem conhecia faleceu nesse dia. Tem músicas lindas e uma voz ainda mais linda! Uma pena que só a fui conhecer agora. 

Mas Chester...porquê? Desejava tanto um dia poder ir a um concerto da banda. Ainda hoje ouço as músicas de Linkin Park de outros tempos. Boa música, música de loucos... Como dizia a minha mãe. Sim, são loucos, drogados, alcoólicos, seres humanos que vivem nas garras da fama, das produtoras, das drogas que estas facilitam o uso e consumo e também de seus problemas pessoais. Enfim.. toda uma série de quês! 

Já sei...! 

Quando eu falo dos meus gostos musicais, espanto muita gente. Vai de Deolinda, passando por canções tradicionais, Jazz, Blues, Clássica, enfim...até Metal às vezes ouço! Neste momento estou na fase de LP e Birdy. Duas grandes cantoras com músicas excepcionais que são um vício. Já passei a fase de ouvir Linkin Park, mas de vez em quando mato as saudades deles e ainda sei quase todas as letras de cor. 

Foram a minha companhia incansável nos momentos piores da minha vida. Foi nas letras das músicas que Chester escreveu que encontrei consolo. Foi a eles que eu desabafei todas as minhas tristezas e sentimentos. Há quem interprete como música de loucos, para mim foi um porto de abrigo. Nem passados estes anos todos, se consigo exprimir ou desabafar realmente aquilo que sinto. Não sei se já estive algures deprimida, nunca fui saber nem alguma vez mo disseram. Acho que sempre soube dissimular bem as minhas tristezas. Mas ao ouvir Linkin Park eu podia me libertar, baixar a guarda, relaxar. Sim... relaxar. São músicas relaxantes para mim. 

 

E agora Chester?? 

Fiquei muito triste, foi como se perdesse um bocadinho da minha adolescência. Esta música foi por muitos anos a que mais me confortava. 

 

Enfim....precisava desabafar! Descansa Chester... para lá também caminhamos.

Crawling - último concerto

 

 

24
Fev17

Como pode?

Terminatora

Talvez nunca me tenha apaixonado perdidamente. Talvez nunca tenha visto de como se veste o Amor. Aquele amor que outros nos trazem (supostamente). 

Mas será que é o amor que nos prende a alguém que nos maltrata? Será amor, ou será o comodismo? A vergonha de passar por um divórcio? A vontade de não querer sair da zona de conforto e mudar o que está mal? Não querer ser acusado e apontado, enxovalhado publicamente? 

 

Gostava realmente de perceber. 

01
Set15

Escolhas... ou não!

Terminatora

 

david-reimer-0061.jpg

 David Reimer http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=4753371&page=-1

 

Não conhecia este caso. Ou se já tinha ouvido falar, não me recordo de momento. É daqueles casos em que dá que pensar. Pensar o quão ignorante, infuenciável e idiota o ser humano consegue ser!

Tudo bem!.. Há muitos anos pensava-se que homossexualidade fosse doença! E claro que apareciam uns "ditos" entendidos no assunto, com teorias que não lembra a ninguém. 

O que me incomoda de momento, é que sempre defendi, sem que me tivessem vindo explicar, que os homossexuais já nascem homossexuais e não é por A, B ou C dizer que ele/a é homossexual ou hetero que a pessoa vai mudar. Não é por a sociedade impingir-nos uma educação contrária à nossa orientação sexual que mudamos. Não acredito nisto.

E choca-me, saber o que este rapaz da notícia, acima teve que passar. Não consigo imaginar o sofrimento pelo qual passou. As dúvidas, o sentimento de culpa, de inferioridade...não consigo imaginar.

As pessoas têm que entender de uma vez por todas, os homossexuais não escolhem gostar do mesmo género e acabou!! É normal! E só temos que aceitar, apoiar, pois eles precisam de ser felizes como são! 

Estamos no século XXI e por vezes ainda ouço comentários desagradáveis por parte de pessoas ignorantes. Eu tenho dois amigos homossexuais e são dos amigos mais divertidos e queridos que tenho. Um deles, passei a minha infâcia tentando protegê-lo contra quem gozava com ele. As pessoas gozavam com o facto de ter "tiques de maricas", riam-se, batiam-lhe... enfim. Passou por um mau bocado. Mas hoje em dia, já assumido, tenta ser feliz e deixar essas memórias no passado.

A minha irmã mais nova, tem um amigo na turma de 3º ano, que, gosta de bonecas, gosta de lhes fazer vestidos e tem uma coleção de barbies, casas, e afins. Um dia perguntou-me se não era esquisito ele gostar de bonecas e ter bonecas, que ele as vezes parecia uma menina. Eu perguntei-lhe se ela gostava dele, ela respondeu que sim. Então disse que, ela que não se importasse com o resto, porque era normal. É normal haver, as vezes meninos que gostam de bonecas, que gostam das brincadeiras de meninas, eles não têm culpa de ser diferentes. Eles não escolhem ser diferentes, mas que são muitas vezes, pessoas muito queridas e amigas. Ela percebeu o que eu quis dizer, nunca a ouvi julgá-lo, maltratá-lo ou gozar com ele. Dão-se super bem, ele vem cá muitas vezes, é um amor. E ela vai se encontrar com ele muitas vezes.

Se as crianças conseguem compreender, aceitar e não julgar...porque queremos nós mudar os outros em nosso redor?

Nunca faria uma coisa destas a um filho/a. Cada qual é como é, só temos que os orientar pelo melhor caminho, dar-lhes apoio e compreensão.

Espero que um dia, a sociedade seja mais unida neste sentido, e até nas escolas se educasse para casos destes. Muitas vezes, os professores vêem que há meninos a passar por maus bocados, mas nada fazem.

Tenho esperança que um dia, deixe de haver descriminação por sermos diferentes!   

 

Mais sobre mim

foto do autor

Extermínios antigos

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Mensagens

Calendário

Agosto 2019

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub